Foto: Procon/MS/Divulgação

O número de registros de pacientes que morreram com diagnóstico de Influenza subiu 142% em uma semana, em Pernambuco. Segundo o boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES), desta terça (18), 160 pessoas faleceram desde o início de 2021. São, agora, 95 óbitos a mais do que o notificado no dia 11 de janeiro, que apontou 65 mortes.

As mortes foram de pessoas com Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag). Do total, 31 foram mortes causadas pelo agravamento da Influenza A, sendo 30 do subtipo H3N2 e um caso não subtipado.

De acordo com a SES, um paciente infectado com o vírus pode morrer de outras causas que não sejam a própria doença. Por isso, os outros 129 óbitos ainda são investigados.

O novo boletim também aponta que há 9.233 casos conhecidos de Influenza A H3N2 e 168 não subtipados, totalizando 9.401 casos.

Os 31 pacientes que morreram devido à Influenza A moravam em Camaragibe (3), Condado (1), Escada (2), Goiana (1), Ipojuca (1), Jaboatão dos Guararapes (3), Olinda (3), Palmares (2), Paudalho (1), Paulista (2), Recife (9), São Vicente Ferer (1), Sirinhaém (1) e Vicência (1).

As idades dos pacientes variam entre 1 e 105 anos. Treze eram homens e 18, mulheres. As faixas etárias das vítimas são: 1 a 5 (2), 10 a 19 (2), 40 a 49 (4), 50 a 59 (1) e 60 e mais (22).

Os pacientes tinham comorbidades e fatores de risco para complicação por Influenza, como diabetes, doença cardiovascular, doença renal crônica, hipertensão arterial e sobrepeso.