Preso suspeito de assassinar veterinária em Igarassu

68
Foto: Arquivo Pessoal/ Folha de Pernambuco

A Polícia Militar (PM) de Pernambuco prendeu no município de Lagoa do Carro, Mata Norte, um homem de 19 anos suspeito de participar do latrocínio da veterinária Nathália Regina Magalhães, 34 anos, na última terça-feira (30). Os detalhes foram divulgados pela corporação na tarde desta sexta (2). Nathália foi encontrada morta no banco do motorista de um carro com um tiro na região do pescoço, em uma estrada de terra do Engenho Monjope, área rural de Igarassu, Região Metropolitana do Recife (RMR).

De acordo com o subcomandante do 26º Batalhão da PM, major Carlos Fiquene, inicialmente foi localizado um homem identificado como Giliarde Cândido da Silva, que foi detido em flagrante por posse de substância entorpecente e posse de munição, quinta-feira (1º), em Botafogo, também em Igarassu. Giliarde negou ter participado do latrocínio de Nathália Regina Magalhães, mas confessou ter emprestado a um amigo a arma usada no crime.

Ele indicou que esse amigo estaria escondido em Carpina, na Mata Norte. “Chegando no endereço apontado por ele encontramos uma mulher que acabou falando o paradeiro do autor dos disparos que resultaram na morte da veterinária. Quando o encontramos em Lagoa do Carro ele estava com outro rapaz. Eles tentaram escapar pulando os muros das casas, mas conseguimos impedir a fuga”, disse. Haverá uma coletiva de imprensa da Polícia Civil sobre as investigações na próxima segunda-feira (5) para esclarecer detalhes do caso.

Relembre o caso
A veterinária Nathália Regina Magalhães, 34 anos, estava acompanhada de um companheiro de trabalho quando foi abordada pelos suspeitos. Ela teria tentado fugir à primeira investida, mas os bandidos a seguiram e acabaram matando a mulher. O homem que estava com ela conseguiu fugir dos bandidos e teria, inclusive, reconhecido um dos participantes do crime. Ao tentar escapar, os suspeitos perderam o controle do carro, na BR-101, ainda em Igarassu, e fugiram deixando o veículo para trás.

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do Facebook