Moradores do Sítio Histórico de Olinda denunciam furtos e arrombamentos

39
Foto: Reprodução/TV Globo

Moradores de Olinda relataram assaltos e furtos, no Sítio Histórico da cidade. Com as medidas restritivas para incentivar o isolamento social e conter a pandemia do novo coronavírus, eles disseram que, com menos gente nas ruas, aumentou a sensação de insegurança.

Em uma casa do Sítio Histórico, um bandido pulou o muro, saiu agachado e furtou cinco cadeiras de plástico. Muito perto, fica a sede da Troça Carnavalesca Mista Cariri Olindense, no Largo de Guadalupe. O local foi invadido na madrugada do dia 27 de março e os bandidos levaram um equipamento de som.

Em um frigorífico perto do Mercado Eufrásio Barbosa, na Avenida Joaquim Nabuco, forçaram a porta e a grade, entraram e levaram dinheiro do caixa e mercadorias. A Casa do Cachorro Preto, que fica na Rua Treze de Maio, também foi invadida.

A pedagoga Ana Paula Barros mora no Sítio Histórico e está cumprindo o isolamento social com a família. São quatro pessoas dentro de casa.

“Realmente, estamos seguindo a regra de segurança, porque é importante, para que tenhamos uma vida melhor, porque a coisa não está para brincadeira. Fora, está terrível, o medo está tomando conta da gente. Está tendo muitos assaltos e isso está amedrontando os moradores da Cidade Alta”, afirmou.

Por meio de nota, a prefeitura de Olinda informou que a Secretaria de Segurança Urbana da cidade, através da Guarda Civil, realiza rondas durante o dia e à noite, para prevenir delitos na área. A população pode denunciar as ocorrências no telefone 153.

A Polícia Militar informou que faz rondas pelo bairro e que deteve suspeitos de cometer furtos nas residências ao longo da semana.