A família da menina de 8 anos que foi esmagada por uma placa de concreto do muro do metrô do Recife recebeu, nesta quarta (20), da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) a cesta básica e o direito de usar um transporte para visitar a criança. Kemilly Kethelyn da Silva está intubada no Hospital da Restauração (HR), na área central. A mãe da garota, Caroline da Silva, disse que ela “evolui bem”.

O acidente aconteceu no sábado (16), durante uma festa promovida pela ONG Mão Amiga, para celebrar o Dia das Crianças. O evento ocorreu na comunidade do Papelão, no Coque, na Ilha Joana Bezerra, na área central do Recife, onde vive a família da garota.

Na segunda (18), o governo de Pernambuco entrou com uma notícia-crime contra a CBTU e acionou o Ministério Público para que a promotoria acompanhe a apuração do caso. No mesmo dia, o pai de Kemilly prestou depoimento na Delegacia do Rio Branco, no Centro da cidade.

Os pedidos de alimentação e transporte foram feitos, na terça (19), para a CBTU, que responsável pela administração do sistema ferroviário.

Kemilly tem dois irmãos, um de 2 anos e outro de 14 anos. O pai trabalha na limpeza urbana do Recife e é o único responsável pelo sustento da família.

A entrega da cesta básica e a disponibilização de um veículo foram divulgados por meio de nota pela CBTU. A mãe da criança e advogada da família confirmaram que já receberam os alimentos pedidos e que poderão usar o carro fornecido pela empresa para ir até o hospital.

Além de cesta básica e transporte, a família de Kemilly pediu que a CBTU disponibilize apoio psicológico e realize um serviço no muro de concreto no entorno da comunidade do Papelão, para evitar novos acidentes.

Na nota, a CBTU informou que atendeu os pedidos feitos durante a reunião. No comunicado, a empresa disse, ainda, que foi criado um comitê de monitoramento “para acompanhamento da elaboração de laudos técnicos e ações necessárias no processo”.

A companhia afirmou também que se comprometeu a “contatar as autoridades para atendimento de pleitos da comunidade visando melhorias das demandas apresentadas, além de manter as lideranças informadas de todas as ações de manutenção”.